"90 anos do Ford Modelo A"

Por: Francisco Mejía-Azcárate
Extraído do texto original: "Os 100 anos do caminhão modelo T e os 90 anos da Ford A".
Ver publicação original

Tradução de Rodrigo Ruíz

Em 1924, a Ford Motor Company possuía dois terços do mercado automobilístico nos Estados Unidos, no entanto, até o final de 1926, tinha apenas um terço desse mercado. Por quase duas décadas, o Modelo T satisfazia as necessidades de locomoção de grande parte do público americano, mas em meados da década de 1920, os carros das marcas concorrentes ofereciam mais estilo, melhor desempenho e performance.

Henry Ford finalmente cedeu e a resposta dele a este desafio da competição veio em um telegrama secreto às concessionárias em 26 de maio de 1927, informando que a "Ford Motor Company" estava imersa em um projeto gigantesco e que em breve começaria a fabricar um novo carro Ford ... "um veículo com um novo design, melhor desempenho e performance superior ao de qualquer outro veículo com preços baixos". Esse modelo Ford completamente novo seria projetado para competir efetivamente contra todos os outros no segmento e assim recuperar o terreno perdido contra os outros fabricantes. Um anúncio semelhante foi feito aos concessionários da Ford para publicar nos jornais locais, mas o detalhe do manifesto parecia mais destinado a louvar o Modelo T e a intriga ou provocar o público, o que implica que este novo e próximo carro Ford , que ainda não tinha um nome, excederia muito o modelo T em tudo. O último parágrafo do manifesto de propaganda disse: "Neste momento, só posso dizer isso sobre o novo modelo: tem velocidade, estilo, flexibilidade e melhor controle de tráfego. Não há nada como ele em qualidade e preço. O carro novo será mais caro para produzir, mas será mais barato no seu uso".

E com esse anúncio surpresa, algo enigmático para a maioria, Henry Ford começou parar a produção de seu reverenciado modelo T, do mesmo dia até 3 de julho de 1927, quando o último modelo T que viu o fim da linha de montagem, na fábrica Southwestern Parkway em Louisville, Kentucky, ele recebeu o número de motor 14.987.899. A travagem na produção durou cerca de seis meses, período durante o qual reorganizaram as fábricas para concluir o mais rápido possível a montagem do novo modelo destinado a substituí-lo. Mas a espera foi dolorosa para aqueles associados à 'Ford Motor Company'. Cerca de 60.000 trabalhadores da Ford foram demitidos quando as fábricas foram fechadas, os fornecedores lutaram para sobreviver, os vendedores gritaram vendendo carros usados ​​e os concorrentes ganharam uma grande vantagem enquanto as vendas da Ford caíram ainda mais. A mudança do Modelo T para o Modelo A foi o evento industrial maior e mais caro na história industrial até esse momento, com um custo estimado entre 100 e 250 milhões de dólares.

À medida que as estações de primavera e verão passaram, rumores sobre o novo e milagroso carro da Ford correram desenfreados. Uma caricatura do tempo mostrou o "novo modelo de Henry" decorado com ornamentos e jóias como para um rei e rotulado com um preço de US $ 500. O primeiro modelo A, deixou a linha de montagem em 20 de outubro de 1927 , era um protótipo, mas os rumores e as expectativas eram tão grandes que os primeiros fotógrafos espiões pareciam em "trance" e estavam dispostos a fazer tudo para obter imagens do carro, mas apenas as revistas especializadas "Automotive News" e " Brighton Argus "tiveram sucesso, dado que a Ford teve especial cuidado em limitar os testes em estradas públicas. No entanto, pai e filho, Henry e Edsel Ford, foram pegos com as mãos na massa de um protótipo por três concessionários Ford muito curiosos em Chicago; os vendedores haviam viajado para a cidade de Detroit para dar uma olhada no misterioso novo Ford. O modelo A foi um sucesso imediato, embora fugaz; Sua produção só durou três anos porque, em 1932, a Ford estava se aventurando em um carro novo, desta vez era a Ford B (Modelo 18), com motor V-8 e 48 HP, que começou a produção em 1932 e terminou com a sua produção em 1934.

No final de novembro, chegou o anúncio de que os americanos estavam esperando: em 2 de dezembro de 1927, o novo carro Ford ainda sem nome e em locais revelados a todos e cada concessionário da Ford seria mostrado ao público. Os preços foram anunciados em 1 de dezembro, no dia anterior ao show, e para o deleite dos potenciais compradores, o novo Modelo A teria um preço comparável ao Modelo T. No dia da divulgação do carro, a Ford News afirmou que 10.534.992 pessoas vieram ver o Modelo A, um número que representa 10% da população dos Estados Unidos, naquele momento. A Ford já havia usado o nome 'Modelo A' em seus primeiros anos, mas ele queria ajudar a diferenciar seu último veículo do Modelo T, criando um nome do outro fim do alfabeto e escolhendo a letra A significava um novo começo. O modelo A foi o primeiro veículo montado na fábrica da Ford em River Rouge, Michigan. A produção atingiu 820 mil unidades em 1928 e, até 4 de fevereiro de 1929, foram produzidas 9 mil unidades por dia, chegando a 1.000.000 de unidades naquele ano, e quando a produção cessou em 1931, mais de mil unidades foram fabricadas e comercializadas. 5.000.000 de unidades, permitindo que a Ford atinja o Chevrolet.

Foram oferecidos sete tipos de carrocerias no lançamento, incluindo Sport Coupe, Coupe, Roadster, Phaeton, Tudor Sedan, Fordor Sedan, Camioneta e o mais elegante e caro de todos os Town Car; Além disso, o departamento de cores e design da empresa estabeleceu, que não existia antes do Modelo A, e os compradores agora podiam escolher entre quatro cores: Azul de Niágara, Areia Árabe, Alvorecer Cinzento e Azul Plomo, vale ressaltar que os para lamas de todos os modelos e durante toda a produção do Ford A foram sempre pintados de preto. Posteriormente, esses sete modelos de carrocerias se tornariam 29, incluindo vários tipos de caminhões leves e vans com uma capacidade de ½ tonelada.

O Modelo A Ford ofereceu aos compradores um estilo elegante (descrito por alguns como um "Lincoln reduzido"), e a superioridade em estilo e tecnologia em relação ao seu antecessor era óbvia, pois este novo modelo veio com freios de tambor mecânicos nas quatro rodas, o consumo de combustível deu um melhor desempenho, oferecendo menos consumo por quilômetro percorrido. Pela primeira vez, o pára-brisa foi feito de vidro de segurança laminado, os amortecedores hidráulicos e o motor eram de 4 cilindros em linha com um deslocamento de 3.3L (200.5 in³³) com potência de 40 cavalos, pesava 1.026 quilos e atingia uma velocidade máximo de 104,6 km / h (65 mph). A transmissão não foi sincronizada, convencional de 3 velocidades e inversa, com uma relação de transmissão final de 3.77: 1. O modelo A tinha uma distância entre eixos de 103 milímetros (2.630 mm).


Os depósitos dos clientes ansiosos chegaram, e nas duas primeiras semanas, a montadora tinha acumulado ordens de 400 mil unidades (adicionando isso aos outros milhares de pedidos que tinham sido feitos antes da divulgação do carro). Embora o modelo A só tenha sido produzido a partir de 1927 até o início de 1932, a Ford vendeu mais de 4,3 milhões de unidades, ajudando a Ford a passar de ser um fabricante pioneiro para um fabricante de ponta. Seu sucesso foi tão grande que, além de ser fabricado em Detroit, nos Estados Unidos, também foi feito em Berlim, na Alemanha; Buenos Aires, Argentina e Santiago do Chile. O modelo A também inspiraria gerações de colecionadores, mecânicos e mecânicos esporádicos na sombra de uma árvore, que ao longo dos anos ajudaram a popularizar esse hobby que todos conhecemos e amamos. Entre os primeiros proprietários do modelo A Ford estavam Thomas A. Edison, que era um amigo íntimo de Henry Ford e as estrelas de Hollywood Will Rogers, Mary Pickford e Douglas Fairbanks.

 

Ford A Latino é um grupo não oficial criado pelos entusiastas do modelo clássico. As opiniões ou comentários expressados neste site não pertencem ou comprometem-se a FORD®